Família é uma das melhores coisas do mundo!

Também pode ser dos quebra-cabeças mais difíceis e complicados de solucionar!

Uma pequena reunião pode tornar-se uma coleção de pérolas a nos incomodar por anos sem fim… E aquilo que começou com algum ânimo pode chegar ao fim do dia com um gosto de ressaca, dor nas costas, na cabeça ou até… na alma.

Há que aprender a sentir-se bem na própria pele para saber colocar-se no lugar do outro.

Uma pena que a vida e os relacionamentos não vêm com manual. Mas o que aprenderíamos neste mundo se tudo fosse tão explicadinho para nós?

Seguem dois textos, duas visões do mesmo dia…

Ahhhh como foi o seu domingo?

Você tá feliz com os encontros que você teve? A festividade foi boa neste dia dos pais?

Você conseguiu ter boas relações com seus familiares ou você fugiu deste tipo de comemoração, por achar que era apenas uma mera formalidade?

Nem sempre as datas comemorativas trazem momentos felizes, visto que, ambiente familiar é uma mistura de pessoas que se conhecem, mas que por vezes, convivem muito pouco.

Tão pouco a convivência, mesmo que por poucas horas, pode acabar gerando desconforto.

Família é um arquipélago de emoções, de vivências, complicações, solidariedade, acolhimento, maldade, inveja, incompreensões, humores descompensados, risos, piadas e uma infinidade de outras características e assuntos diversificados, que só podem ser identificados em festas e confraternizações.

Poucas pessoas tem a generosidade de pensar que o outro é apenas o outro, que cada qual rege a sua vida com os recursos que dispõe.

Alguns membros portam-se de maneira mais evoluída, enquanto outros seguem a trilha do lamento e das insatisfações cotidianas.

Não há nada mais rico do que toda essa convivência, assim podemos avaliar que lugar ocupamos, bem como perceber que hábitos alheios nos fazem mal.

Saber conviver em família é um exercício funcional para o convívio social.

Há que se ter uma boa dose de inteligência emocional, paciência e sabedoria para compreender que nem todas as pessoas que nos são caras estão prontas para ver beleza na claridade.”

Elen Piccinini é Psicóloga, Coach e parceira do Blog Dona de Casa. Só que não.

 

Design Sponge - a rustic & collaborative thanksgiving

Photo: Design Sponge – a rustic & collaborative thanksgiving

 

“Domingo dos Pais à flor da pele

Dia dos pais, muitas fotos, muita alegria, muita saudade e muita tristeza.

Alguns sortudos em ter a presença amorosa de homens maravilhosos, outros nem tanto.

Muitos órfãos de pais falecidos, outros órfãos de pais vivos. Vítimas da saudade e muitas vezes vítimas da incompreensão e do distanciamento voluntário.

Quais são as maiores lembranças que o seu pai deixou em você? Quais foram as marcas na sua história, no seu temperamento, na sua autoestima?

Como foi pra você o dia dos pais? Como foi lidar com os momentos em família? Como foi lidar com a vida na alegria e na tristeza, na saúde e na doença?

O importante é saber como foi tudo isso para você e como você está lidando com as impressões que te acompanharam no dia seguinte.

Família é pra vida toda mas nem por isso é fácil.

Como quer que tenha sido seu dia, acredite, você não está sozinha!”

 

Essa sou eu, Patricia Boechat, Coach e blogueira. Bom demais estar aqui com você!

 

Imagem de capa: Pexels 69096

Retornar à Página Inicial

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedintumblrmail

2 thoughts on “Domingo dos Pais à flor da pele

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *