Comportamento,  Filhos,  Vivendo a 2

Pensando Alto – Por uma família mais “Porto-Seguro”.

imageO que você pensa quando imagina um lugar tranquilo, onde você sinta sempre bem-vindo e seguro?

Eu imagino a minha casa, a minha família.

O mundo já é tão difícil, tão perigoso, a sensação que dá é que a insegurança física e emocional predomina por aí.
A família da gente é pra ser aquele reduto de amor, paz e harmonia que o nosso coração pede, de nutrição para o espírito. Aquele lugar onde a gente não se sente ameaçado, muito ao contrário, em perfeita segurança.

Sei que isso pode ser meio utópico, que não podemos ter certeza de como nós mesmas ou cada um à nossa volta vai se sentir hoje ou no futuro. Mas certamente podemos criar certos hábitos comuns que nos indicam o caminho da harmonia e aceitação mútua.

Construa a família que você gostaria de ter tido.

Tem tanta coisa na vida que a gente gostaria que tivesse sido diferente! Pois veja que quando nos tornamos adultos, temos a chance de criar uma nova realidade familiar.
Não perca a oportunidade!

Invista na nova geração.

A geração que passou ainda tem jeito, mas a que chega é um celeiro de novos e bons hábitos! Ensine a seus filhos a compreender as dificuldades alheias e a aceitar cada um do jeitinho que é.

Dê o exemplo.

Falar é fácil, difícil mesmo é ser aquilo que a gente quer ver. Mas vale cada minuto de esforço.

Competir pra que?

Cada um é cada um e o que você é, não muda o que eu sou.

Felicidade NÃO é um sentimento comparativo.

O que está no meu coração é uma construção minha e só minha. Se quem está do meu lado é mais ou menos feliz, isso não muda o que está dentro de mim. O máximo que eu posso fazer é ajudar quem não está bem ou usar o exemplo de quem está, para construir uma vida melhor para mim mesma.

Críticas

Quando criança, aprendi com a minha mãe, que quando a gente não tem nada de bom pra dizer, o bom mesmo é não dizer nada.
Lição aprendida, descobri que quando a gente não tem nada de bom pra dizer, ainda pode exercitar o olhar para encontrar.

Porque sempre existe alguma coisa boa, lá, quietinha, esperando para ser descoberta e valorizada!

Não julgue.

Muitas vezes não temos clareza nem dos nossos próprios sentimentos, é muita pretensão acreditar que sabemos EXATAMENTE o que vai no coração do outro.

Diga NÃO à ironia e ao sarcasmo.

Família é lugar de sinceridade. O sarcasmo gera competição, um querendo ferrar o outro e atento para revidar a próxima ofensa. Isso é um veneno para qualquer relação.
Por outro lado, falar com sinceridade e buscar os seus sentimentos verdadeiros, pode criar um vínculo profundo de empatia, boa vontade e aceitação entre duas ou mais pessoas.

A minha avó já dizia que quem muito brinca, muito ofende.

Brincadeiras são brincadeiras apenas quando agradam o outro. Cria uma cultura na sua família de exaltar e valorizar uns aos outros e seja consistente!

Nunca fale mal uns dos outros.

A maledicência é outro veneno que acaba com qualquer possibilidade de um relacionamento saudável. Seja sincera e diga para cada um em particular, o que precisa ser dito para aquela pessoa.

Não grite.

Quando a gente grita, se afasta. Quando fala baixo, a gente se aproxima. Sei que às vezes é difícil resistir, mas vale muito a tentativa!

Não humilhe.

Fale sempre em particular corrigindo as atitudes e situações, não as pessoas! Quando a autoestima de uma pessoa não está sendo ameaçada, é mais provável que ela abra os ouvidos e coração para o que você tem a dizer.

Mentir? Jamais!!!

Confiança é difícil criar, mas desfazer é num pulo! Uma mentirinha descoberta já é o suficiente para questionar todas as atitudes da outra pessoa, se o mentiroso for pai e mãe então, o mundo cai! Por que se você não pode confiar em pai e mãe, vai com fiar em quem, não é mesmo???

Companheirismo.

Faça uma atividade juntos, que ambos gostem de fazer. Se não encontrar alguma, aprenda a gostar de alguma coisa que a pessoa de quem você quer se aproximar, goste. Mas tente gostar de verdade e divirta-se! O meu pai já dizia que “por causa do santo, beijam-se as pedras”. Depois que tive filhos, descobri que ele tinha razão 🙂

Esteja atenta em copiar os bons exemplos que você teve na vida e faça questão de não perpetuar os ruins.

Já percebeu quantos comportamentos repetimos quando vivemos sem atenção? A nossa criação foi uma forma e precisamos usar o nosso bom-senso para sair dela, entrando num estado de liberdade com sabedoria. Estar atento é uma grande ferramenta para construção da nossa realidade. Viver no piloto automático é quase um crime, um desperdício de oportunidades.

Aceitação é um exercício diário.

Comece com pequenos atos de tolerância. Se hoje foi difícil, tudo bem, amanhã o dia chega trazendo uma nova oportunidade.

Dê atenção ao sentimento do outro.

O que acontece no coração de uma pessoa é tão íntimo, tão precioso! A nossa família muitas vezes é o único lugar onde a gente pode se mostrar verdadeiramente. Escute sem interromper, valorize!

Acolha.

Como é bom se sentir acolhido! Muitas vezes, quando acontece alguma situação difícil na vida, tudo que as pessoas querem é um colo, um aconchego. Seja o colo!

Felicidade é uma construção feita a cada minuto, de dentro pra fora.

* Esteja atenta.

* Questione.

* Discuta o assunto em família – “o que é felicidade para cada um em sua casa?”

* Pergunte e ouça as respostas com a mente e o coração.

* Conheça os amores da sua vida.

* Tente mudar o que for necessário, mas ame e aceite cada um como é.

Seja sincera, fale com o coração.

Fale dos seus sentimentos, das suas preocupações e do seu desejo de ver aquele membro da família feliz. Apenas argumentos verdadeiros se sustentam ao longo dos anos.

Na dúvida, leve no bom humor! Porque rir junto, ainda é o melhor remédio!!!

Retornar à Página Inicial

(Visited 41 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *